Soldar com eletrodos

Soldar em forma  manual certamente continua sendo  uma boa alternativa para a fabricação ou recuperação de peças e equipamentos. Devido principalmente a sua simplicidade, portabilidade, confiabilidade e facilidade de operação. Os eletrodos são produzidos com três tipos de revestimentos: celulósicos, rutílicos e básicos ou de baixo teor de hidrogênio. São empregados para ligar provavelmente a maior parte dos metais, assegurando em primeiro lugar uma excelente qualidade das juntas soldadas.

Soldar com MIG

Soldar com o processo MIG-MAG permite principalmente a utilização de altas taxas de deposição nas aplicações de fabricação industrial, com a maior parte das ligas metálicas presentes no mercado. Foi originariamente desenvolvido para o alumínio e outros materiais semelhantes e posteriormente utilizado frequentemente para ligar todos os tipos de aços. A sua maior vantagem consiste na alta velocidade de fusão, com boa operatividade em toda posição. Os arames são fabricados com materiais ferrosos e não ferrosos, em vários diâmetros disponíveis.

Soldar com TIG

Soldar com o processo TIG é certamente uma excelente opção quando procuramos um bom nível de qualidade nas uniões metálicas. Seu campo de aplicação abrange todo tipo de ligas ferrosas e não ferrosas. Ademais a operação pode ser manual, automatizada ou totalmente robotizada. São utilizados eletrodos de tungstênio não consumíveis que servem principalmente para estabelecer o arco elétrico entre a tocha e a peça de trabalho. Existem basicamente 5 tipos: puro, com tório, lantânio, cério e zircônio. A solda TIG tem como principal desvantagem uma baixa produtividade, devido a operar com taxas de deposição muito pequenas.

Soldar com brasagem

Soldar com brasagem é provavelmente a alternativa ideal para a ligação de peças metálicas dissimilares, em forma eficiente e econômica. O método também é bastante versátil, por vários motivos. As juntas soldadas são resistentes, dúcteis e tenazes e ademais com a capacidade de suportar vibrações ou impactos importantes. A união sempre é realizada à temperaturas baixas, evitando consequentemente o empenamento, o superaquecimento ou a fusão dos componentes metálicos.

Metalização

Metalização significa a criação de camadas de revestimento, para proporcionar um aumento na durabilidade de componentes mecânicos em serviço. Os desgastes podem ser provocados por solicitações de abrasão, corrosão, erosão e cavitação. Os métodos “Arc Spray” ou “Flame Spray”certamente podem aplicar revestimentos na maioria dos metais, inclusive para recuperação dimensional. São de baixa transferência de calor, minimizando o risco de deformações ou distorções de peças ou equipamentos.

Acessórios e equipamentos

Os acessórios para soldas e metalização certamente são fundamentais para a manutenção e reparo dos equipamentos em operação. As tochas para os processos TIG e MIG são fabricadas com cabos de alimentação elétrica em diferentes dimensões. E dependendo das condições do serviço, ademais podem ser com ou sem circuito de refrigeração por água (molhadas ou secas). Conforme as necessidades, são projetadas para trabalhar com diferentes parâmetros elétricos.