Eletrodo E309L

Eletrodo inox E309L, com baixo teor de carbono. Indicado para soldar aços de composição química semelhante, resistentes ao calor e à corrosão.

REF: E-39L-6 Categoria:

Eletrodo inox E309L, com estrutura austenítica e baixo teor de carbono. Indicado principalmente para soldar aços de composição química semelhante, resistentes à corrosão e ao calor e ademais para uniões dissimilares entre aços carbono ou baixa liga com aços inoxidáveis.

Os depósitos de solda do eletrodo revestido E309L são insensíveis à corrosão intercristalina, como resultado da baixa precipitação de carbonetos de cromo, sendo ao mesmo tempo, resistentes à escamação a temperaturas de até 1000ºC. Empregado em aços de difícil soldabilidade com composição química desconhecida, aços inoxidáveis refratários​​ AISI 310 ou fundidos semelhantes e aços criogênicos com 3,5; 5 e 9% de níquel.  Ademais para fazer revestimentos protetores inoxidáveis em aços carbono ou de baixa liga, feitos com um passe de solda, obtendo na superfície uma composição química similar ao aço inox. AISI 304.

Critérios para minimizar as distorções, na soldagem de aços inox. utilizando o eletrodo inox E309L-16

O aço inoxidável austenítico e muito propenso a sofrer deformações, por causa de ter um coeficiente de dilatação térmica maior do que outros materiais, tendendo, por conseguinte, a distorcer facilmente. Além disso, uma amperagem muito alta ou uma velocidade de avanço muito lenta podem certamente, contribuir para esse problema.

O desenho adequado e a fixação das juntas, frequentemente são boas práticas para evitar as distorções. Um projeto correto de juntas, certamente deverá limitar o número de passes de solda necessários, minimizando dessa maneira, a entrada de calor nas soldagens. Uma forma prática seria fazer os chanfros com ranhuras em V, ranhuras em X, ranhuras em U ou ranhuras em J.

Outra forma de evitar as distorções é prender as peças de trabalho. Isso é importante sobretudo em materiais finos, pois são mais propensos a deformar. De mãos dadas com a distorção, vem certamente, a tendencia à fissuração, especialmente no inicio e na cratera das soldas. Técnicas adequadas na movimentação dos eletrodos, ajudarão a ter uma distribuição térmica uniforme, evitando dessa maneira, aquecimentos localizados, com as consequentes deformações.

Norma: AWS A5.4 E309L-16/17

Composição Química (%)

C= 0,04
Si= 1,0
Mn= 0,5-2,5
Cr= 22,0-25,0
Ni= 12,0-14,0
Mo= 0,75

Resistência à tração: >520N/mm²

Aplicações: tanques para produtos químicos, cestos para tratamentos térmicos, refinarias de petróleo, indústria química, petroquímica, farmacêutica, alimentícia, fábricas de papel e celulose, usinas de açúcar e álcool, almofadas para efetuar enchimentos duros, etc..