Soldagem do ferro fundido com eletrodo de níquel

Recuperação do ferro fundido com eletrodo de níquel

Recuperar peças de ferro fundido com eletrodo de níquel é uma prática frequentemente utilizada nas atividades industriais, ajudando a economizar não apenas tempo, como também dinheiro. Nesse sentido, para obter bons resultados, será necessário empregar técnicas adequadas, principalmente quando partes críticas estão envolvidas no processo de restauração.

O ferro fundido

É uma liga à base de Fe, C e Si. Contendo principalmente de 2 a 4% de C, com quantidades variáveis ​​de Si, Mn e ademais alguns traços de S e P. É produzido reduzindo óxido de ferro em um alto forno. Logo depois, o metal fundido será derramado na forma líquida e endurecido em lingotes.

Os ferros fundidos são empregados para a fabricação de uma série de produtos domésticos e industriais. Alguns deles são:

  • Insumos agrícolas
  • Cabeçotes, blocos, virabrequins e analogamente coletores de motores
  • Carcaças, suportes, ferramentas e ademais bases para máquinas
  • Tubos de ferro fundido
  • Rodas para vagões ferroviários
  • Engrenagens e ademais matrizes.

Ferros fundidos soldáveis com eletrodo de níquel

  • Cinzento
  • Branco
  • Nodular
  • Maleável

A princípio, a soldabilidade geral destes materiais é muito baixa, dependendo sobretudo, do tipo de liga, espessura, forma e analogamente, da necessidade de usinar os componentes soldados. Os ferros fundidos dúcteis e maleáveis ​​possuem a melhor soldabilidade, enquanto o cinzento e o branco somente permitem efetuar pequenos reparos.

Técnicas para recuperar ferros fundidos, empregando o eletrodo de níquel

  • À frio

A forma e o tamanho dos fundidos pode exigir que a soldagem seja feita sem preaquecer as partes metálicas. A princípio, as peças precisam estar totalmente frias, porém um pequeno aumento da temperatura (até 50ºC) pode ser útil. Posteriormente iniciar a recuperação do ferro fundido com eletrodo de níquel, fazendo cordões retos e da mesma forma, curtos, com aproximadamente 3cm de comprimento. Logo depois, efetuar um martelamento leve nos depósitos enquanto eles resfriam. Se for possível, soldar em outras partes das peças, com a finalidade de evitar aquecimentos localizados.

  • À quente

Preaquecer as peças fundidas em forma lenta e ademais uniforme, com o propósito de diminuir a taxa de resfriamento nas soldas e também na região afetada pelo calor. Por outro lado, nunca superar os 750 º C, pois isso colocará o material numa faixa de temperatura crítica. Logo soldar o ferro fundido com eletrodo de níquel, empregando baixas amperagens, com o intuito de minimizar a mistura com o metal de base, evitando dessa maneira, tensões residuais excessivas.

Principais eletrodos de níquel para soldar ferros fundidos

C = 2,0 % max
Fe = 8,0 % max
Mn = 2,5 % max
Ni = 85,0 % min
Si = 4,0 % max
Cu = 2,5 % max

C = 2,0 % max
Mn = 2,5 % max
Ni = 45,0 % – 60,0 %
Si = 4,0 % max
Cu = 2,5 % max
Fe = Resto